A vida sem graça de Charllynho Peruca, o título já diz, é sem graça.

Porém, sob a aparente monotonia das andanças do menino para entregar sanduíches da lanchonete do pai, surge um relato sensível das esperanças, sonhos e trapalhadas do jovem Charllys.

Bem que este livro também poderia ter se chamado A cidade sem graça de São Paulo. Pois, ao contrário dos padrões habituais, seu centro histórico é apresentado sem enquadramentos favoráveis, que revelam tesouros escondidos. Tampouco explora os (igualmente costumeiros) ângulos negativos, “denunciando” suas mazelas.

Não, não. Nada de itinerários pitorescos, nada de turismo. Nada de óculos 3D, microscópios ou cenografia. Aqui, tanto São Paulo quanto Charllynho só podem ser enxergados pela medida dos nossos olhos. Com toda a perda do espetáculo e charme que isso implica, claro. Mas, pense bem: qual outra medida humana existe para se enxergar verdadeiramente algo?

120 páginas

16 x 23 cm

Editora Biruta

2010

baixe

compre

O COMEÇO DO LIVRO

LIVRARIA CULTURA

AMAZON

MARTINS FONTES

SARAIVA

PNBE Programa Nacional Biblioteca Escola / Ministério da Educação (2010)

Xinguei
Gustavo Piqueira.

Ou cheiro de terra molhada ou cheiro de poeira levantada. Na estrada, tratores ou cavalos, vacas e outros animais que não costumamos ver
 na zona urbana. Um laguinho cheio
de patos e uma videira onde sempre estão algumas uvas. [...]

Publicado no blog Andrecefalia,

em 13 de maio de 2014.

Quando acho que
já vi de tudo…

Volta e meia a Biruta me surpreende, me deixa biruta de verdade. Quando acho que já vi de tudo no universo infanto juvenil, záz, eles trombam minha caixa postal, quase derrubam
a samambaia, enchem de areia minha porta e me fazem feliz. [...]

Publicado no Suplemento Cultural,

em 03 de feveireiro de 2013.